Foram oito anos no Fluminense. Sete deles na base e um no profissional. A partir desta terça-feira, João Pedro inicia um novo capítulo em sua vida. Nesta noite ele embarca para a Inglaterra, para se apresentar ao Watford.

E antes do garoto de 18 anos seguir para o Velho Continente, fizemos uma entrevista especial, que vai ao ar neste mês, no Globo Esporte. Na conversa, o jovem atacante bem que tentou, mas não conseguiu segurar a emoção ao falar sobre a despedida do Tricolor:

- Passei quase metade da minha vida no clube. A despedida é sempre pior. Conheço todo mundo lá. Tudo que passei… Mas futebol é isso aí. Me segurei para não chorar lá, mas chorei aqui. Mas vamos lá.

Negociado com o clube inglês em 2018, quando ainda atuava no Sub-17 do Flu, João Pedro temeu não ter tempo de jogar profissionalmente pelo Fluminense. Mas pulou o Sub-20 e foi direto para o grupo principal. E teve um ano mais do que intenso: início avassalador, golaço de bicicleta, queda de rendimento, pressão da torcida...

- Fiquei ansioso ao ser vendido porque eu estava no Sub-17 e o normal seria ir para o Sub-20. E aí eu não sabia se daria para jogar no profissional, algo que eu queria muito. Queria retribuir o que o clube fez por mim. Era um sonho meu jogar no Fluminense. Não queria ir sem jogar no profissional. E graças a Deus pude jogar, tive sequência, consegui marcar gols, alguns que vão ficar na memória do torcedor, como o de bicicleta e os três na Sul-Americana.

No papo, João Pedro falou também sobre o namoro com a atriz Mel Maia, a fase difícil no Fluminense, a cobrança dos torcedores e a expectativa de jogar no futebol inglês. A reportagem especial vai ao ar neste mês de dezembro, no Globo Esporte e no GloboEsporte.com.